Case - Melnick

A Melnick, empresa de origem familiar com mais de 20 anos de atuação no mercado gaúcho, tornou-se referência em Porto Alegre no segmento de alto padrão e posteriormente consolidou-se como uma das maiores incorporadoras do Rio Grande do Sul. Quando ocorreu um boom de abertura de vários IPOs no segmento da construção civil, a Even veio a Porto Alegre e buscou uma parceria local, se associando com a empresa do Sr. Milton Melnick e dos filhos Leandro Melnick e Juliano Melnick. Assim surgiu a Melnick Even. Em 2013, a empresa já estava entre os três principais players do Rio Grande do Sul. Atualmente, são 19 canteiros ativos. A empresa tem em torno de 500 colaboradores diretos e chegando a mais de 3.000 colaboradores, entre diretos e terceirizados.

 

Modelo de trabalho Melnick

Com grandes projetos, vem grandes responsabilidades. O crescimento de uma empresa faz com que surjam, também, inúmeros desafios. Para Maicon Barreto Leal, umas das maiores dificuldades no processo de entrega são os cumprimentos de prazo e conformidade do projeto, com o briefing solicitado, algo que envolve também o número de fornecedores de projetos disponíveis no mercado e, também a qualificação técnica dos profissionais envolvidos.

“Aí entra o papel da compatibilização! De enxergamos o todo!” disse Maicon Leal, gerente da área de projetos da Melnick Even.

A Melnick Even conta atualmente com 15 profissionais no setor de projetos, voltados para a gestão e compatibilização, dentre estagiários, arquitetos e engenheiros. Junto à área, tem a Inteligência de produto, que tem a função de servir como guardião do conceito dos projetos como arquitetura, paisagismo, Interiores e luminotécnico, que são concebidos na área de Incorporação de Desenvolvimento de Produtos.

Esse meio de campo entre Desenvolvimento de produto e a Engenharia é feito pela Inteligência de Produto.  O setor de projetos faz a gestão, a condução de cronograma, atendimento a briefings e compatibilização. “Optamos por ter ela interna para termos maior domínio da informação e agilidade, tanto entre fornecedores e projetistas quanto com a obra.”

O processo de implantação do BIM teve início na Melnick Even desde 2017, quando começaram a priorizar profissionais que trabalhassem com essas ferramentas. A partir de 2019, as principais disciplinas passaram a ser somente em BIM.

O primeiro passo foi encontrar modelos que servissem para compatibilização. A área de Orçamentos já tinha um processo interno de modelagem para orçamentação. “Não tinha por que ter uma área que produzisse um modelo e outra área que produzisse outro. Então, começamos a juntar essas informações com os projetistas termos mais agilidade nas. E aí começamos a estudar algumas plataformas que nos fizessem centralizar informações dentro do processo de gestão de projetos”.

No modelo antigo de trabalho, trabalhavam com reuniões quinzenais dentro de um projeto – que tende a durar de 6 a 8 meses. Os projetistas tinham horários escalonados e ali se gerava uma ata com as informações debatidas e as combinações, que era posteriormente enviada por e-mail e postada num repositório de informações e projetos. Ao começarem a fazer relatórios, tentando ilustrar incompatibilidades, viram que a ConstruFlow se encaixava muito nesse perfil. No segundo semestre de 2019, perceberam que era hora de realmente ter uma plataforma que lhes conferisse agilidade e centralizasse informações de forma ilustrativa, para garantir uma comunicação mais fluída com os profissionais.

 

Porque usar a ConstruFlow?

O que fez a Melnick Even decidir adaptar os processos à ConstruFlow foi o formato de relatórios que já vinham fazendo e era bastante trabalhoso.

Para Maicon, as principais vantagens da plataforma são:

  • relatórios automáticos;
  • maior conexão entre os projetistas;
  • comunicação ágil entre a equipe;
  • melhor visualização dos problemas, com a possibilidade de incluir imagens e marcações.

“Também facilita a rastreabilidade de pendências de cada disciplina, pois em uma ata os assuntos se acumulam e a plataforma possibilita diversas formas de procura dos assuntos no decorrer do desenvolvimento dos projetos, este recurso fez com que houvesse maior engajamento dos projetistas”

 

Conclusões

Os primeiros ganhos de agilidade com o uso da Construflow já foram observados ao adaptar projetos antigos à plataforma. Mas agora, com os produtos já iniciando por ali, Maicon diz que fica ainda mais fácil perceber as vantagens.

“Agora, a Construflow já é a ata da reunião. Algumas outras plataformas tem recursos mais pesados na transmissão de dados. Ainda temos uma internet pouco eficiente no Brasil, e nesse período de home office dependemos da conexão. Ter plataformas leves é muito importante, pois torna o trabalho mais ágil.”